16.12.07

Saudades, 15 de dezembro

Custei a ter coragem...
Neste dia...
Quantas lembranças
A expectativa de duas comemorações
Inciavam-se quando começava dezembro.
Sentia-me privilegiada
Por um dia, ter chegado, na véspera
Da celebração de sua vida
Que pulsa ainda em minha alma
Que se recusa a acreditar
Em tua ausência
Teus olhos andavam tristes,
E eu na correria da vida...
Não me perguntei porque
Foram-se os dias...
Ficaram as palavras
Presas na garganta
Que me sufocam e me impedem
De respirar livremente
sem ver
A tua imagem, o olhar triste
Que saudade, minha mãe.
Que vontade de retornar
Falar tudo que não falei
Fazer, sentir,expressar,
Saudades, minha mãe
Do silêncio de tua presença
Das divergências,
Da torcida por meu sucesso
Da pessoa que podia recorrer
Saudade do que poderia ter sido
E não fui
Viver nesta consciência
Do amor que sinto por você
Saudades, minha mãe
Dos sonhos que não tenho tido
Do sorriso, embora melancólico
Falta de não ter falado
Te amo tanto que tudo dói
Quando como era criança
E ficava a te esperar.
Sentindo medo de você não voltar
E hoje
Não aceito o nunca mais
Foste em dia chuvoso
O céu dizia que tua presença
Faria a mais amarga das faltas.
Não posso dizer adeus
Fica comigo, minham mãe.

Um comentário:

  1. Nossa, seu blog é simplesmente belíssimo. Tenho certeza que toca o coração de todos que o lêem, assim como tocou o meu...

    Bjosss!!!

    ResponderExcluir